quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Quem foi Lineu?



No inquérito realizado neste blog há uns meses, perguntou-se “Quem foi Carl Linnaeus (Lineu)?”. Das quatro opções - compositor, botânico, médico ou romancista – os leitores do blog votaram maioritariamente em botânico (85%, 6votos) e em menor número optaram por médico (28%, 2 votos). Tendo havido 7 votações (7 pessoas votaram), mas 8votos, significa que um votante optou pelas duas opções (botânico e médico).


Conclusões: uma vez que as duas hipóteses estão correctas, pode concluir-se que Lineu é uma personalidade histórica conhecida dos leitores, pelo menos no que concerne ao estudo da natureza. Outra conclusão, é que apesar da familiaridade dos leitores com este cientista, o seu contributo científico não está completamente divulgado. Fica então a nota que para além do contributo do Lineu para a História Natural e para a Medicina, o cientista também deu um contributo para a economia do seu país. Para saber mais sobre este cientista sueco do Iluminismo, deixarei referências bibliográficas no final. Apresento de seguida, um sintético esboço da vida do botânico e médico (a perspectiva económica não será aqui analisada).

Quem foi Carl Linnaeus (Lineu)?

Carl Linnaeus (1707-1778), mais conhecido por Lineu, nasceu em 1707 em Småland, uma província pobre do norte Báltico, filho de Christina Brodersonia (1688-1733) e de Nils Ingemarsson Linnaeus (1674-1748). 

Lineu viveu num período histórico em que aumentava o interesse pelo estudo da natureza e isso reflectia-se nas colecções de animais preservados em recipientes de vidro, nos magníficos livros de História Natural, nas colecções privadas de fauna e flora nos salões dos nobres e nos gabinetes de curiosidades – antecedentes dos museus de ciências.

O famoso aforismo: “Deus criou, Lineu ordenou”, deriva do trabalhorealizado pelo naturalista que consistira em observar várias espécies de animais e plantas e, de seguida, classificá-los e colocá-los em grupos, consoante a sua semelhança morfológica. Lineu hierarquizou essas características das mais gerais (Reino) para as mais específicas (espécie), e criou uma nomenclatura binomial, isto é, a nomenclatura científica das espécies passou a ser designada por dois nomes: o epíteto genérico (indica o género) seguido de um epíteto específico (indica a espécie), em forma latinizada (e.g. Homo sapiens). O resultado do seu trabalho taxonómico encontra-se patente na sua obra-prima, o Systema naturae (1735). 

Lineu é lembrado como um naturalista sueco do século XVIII e como um grande especialista em botânica. O que não é muito conhecido é o facto de Lineu também ter sido médico. Vejamos: 

A 23 de Junho de 1735, Lineu tornou-se Doutor em medicina pela Universidade de Harderwijk, na Holanda, cuja dissertação foi sobre a etiologia da malária. A sua ligação à medicina não se limitou ao doutoramento, pois de 1738 a 1741 trabalhou como médico em Estocolmo, onde se especializou numa doença sexualmente transmissível, muito comum na época, a sífilis. Em 1741, tornou-se professor de medicina na Universidade de Uppsala. 



Referências Bibliográficas:

Koerner, Lisbet; Linnaeus: Nature and Nation, third printing, Harvard University Press, 2001

Para saber mais: 



Nenhum comentário: